Vaga

Conselheiro de Saúde (m/f)

Alto Comissariado Britânico

O Alto Comissariado Britânico em Maputo está a recrutar um Conselheiro de Saúde (m/f) para Maputo, em Moçambique.
Descrição
  • O Departamento para o Desenvolvimento Internacional (DFID) lidera o trabalho do Reino Unido com vista a acabar com a pobreza extrema, cumprir os Objectivos Globais e enfrentar os desafios globais em conformidade com a UK Aid Strategy (Estratégia de Ajuda do Governo do Reino Unido). O nosso orçamento destinado à ajuda é gasto para enfrentar os grandes desafios globais – desde as causas fundamentais da migração em massa e das doenças, até à ameaça do terrorismo e das mudanças climáticas globais – que são aspectos que também ameaçam directamente os interesses britânicos. Estamos a acabar com a necessidade de ajuda construindo sociedades pacíficas e estáveis criando postos de trabalho e economias sólidas, combatendo a corrupção, revelando o potencial das raparigas e mulheres, combatendo as mudanças climáticas e ajudando a salvar vidas quando surgem situações de emergência humanitária. Estamos a fazê-lo porque é a atitude certa a tomar e é certamente no interesse nacional da Grã-Bretanha
  • O DFID trabalha em parceria com outros sectores na sede, e inclusive a sociedade civil, o sector privado e instituições multilaterais, nomeadamente o Banco Mundial, agências das Nações Unidas e a Comissão Europeia
Objectivo do Cargo
  • Moçambique é o sétimo país mais pobre do mundo, com elevados níveis de corrupção estatal, e continua a sentir o impacto económico do escândalo das dívidas ocultas de 2016. É também um dos países mais vulneráveis do mundo às mudanças climáticas e desastres naturais, conforme demonstrado pelos ciclones Idai e Kenneth, que devastaram vastas extensões do país no início de 2019. Um governo fraco, índices elevados de corrupção e mais recentemente a crescente actividade de insurgentes no Norte constituem o risco de minar a estabilidade de Moçambique. Dito isto, nem tudo são más notícias. Moçambique está prestes a tornar-se o terceiro maior exportador de gás do mundo. Acolhe o maior investimento estrangeiro em infra-estruturas de Gás Natural Liquefeito (GNL) da história de África, no valor de 25 mil milhões de dólares ao longo de cinco anos. Há uma janela de oportunidade para relançar a economia de Moçambique, enfrentar a pobreza profunda que ameaça a estabilidade, reforçar a governação e combater a corrupção, bem como ajudar Moçambique a preparar-se para a entrada das receitas dos recursos naturais dentro de dez anos. A cólera e outras doenças infecciosas são endémicas em Moçambique, com um risco elevado de que os surtos de doenças perturbem a execução do programa
  • A carteira do escritório está estruturada em torno de uma estratégia dupla destinada a promover a redução da pobreza: através do apoio imediato ao desenvolvimento humano e resiliência (equipe do Desenvolvimento Humano e Resiliência (DHR)); e apoio a longo prazo para a governação responsável e para o crescimento inclusivo (equipa do Governação e Crescimento Inclusivo (GCI)). Ambas as equipas são apoiadas pela Equipa de Excelência de Execução (EEE)
  • A equipe DHR possui actualmente uma vasta carteira de programas em saúde sexual e reprodutiva, água, saneamento e higiene (ASH), protecção social, nutrição e resposta humanitária. Coloca-se um grande foco na racionalização da carteira e ainda mais no fortalecimento institucional para que os recursos nacionais sejam canalizados através destes sistemas quando as receitas do petróleo e gás começarem a ser produzidas dentro de 10 anos. A equipa desenvolveu recentemente 3 novos programas interessantes – um programa da transição demográfica de 75 milhões de libras, um programa integrado de água, saneamento e nutrição de 70 milhões de libras e um programa de protecção social e resiliência de 65 milhões de libras para apoiar os mais vulneráveis
  • O DFID Moçambique procura um Conselheiro de Saúde de nível A2 para liderar o fortalecimento e as políticas do sector da saúde, trabalhando em todo o HMG para cumprir as prioridades de saúde global do Reino Unido em Moçambique, com um grande foco na obtenção de resultados e na relação custo-benefício. O conselheiro de saúde irá liderar o programa de saúde do DFID Moçambique e subsequentemente o programa da transição demográfica, na qualidade de Responsável Sénior do Programa (RSP) com enfoque forte em engajar com a Mecanismo Global de Financiamento (GFF) e ajudar na mobilização do novo programa demográfico. Este elemento irá liderar os aspectos de saúde de emergência que podem surgir em Moçambique, em colaboração com o apoio adicional humanitário sempre que for necessário. O/A Conselheiro/a de Saúde terá a capacidade de desenvolver excelentes redes e compreender os quadros e políticas de saúde globais internacionais para poder influenciar as discussões sectoriais e de políticas
  • O titular do cargo deve prestar contas ao Chefe da Equipa de Desenvolvimento Humano e Resiliência e trabalhar em estreita colaboração com o Conselheiro de transição demográfica financiado pelo programa, e também com o Oficial dos Projectos de Saúde
  • Equipa: Equipa Regional da África
  • Salário: USD 71,347.00 por ano
  • Duração: Tempo determinado, 24 meses
Funções
  • Os objectivos podem mudar de acordo com as prioridades do DFID Moçambique
  • Os objectivos actuais referentes a este posto são liderar o diálogo sobre políticas de saúde do DFID Moçambique, trabalhando em todo o DFID Moçambique e em estreita colaboração com altos funcionários do Ministério da Saúde, parceiros bilaterais e multilaterais, sociedade civil, sector privado e organizações de pesquisa no sector da saúde e em estreita articulação com o Conselheiro de Transição Demográfica, o Chefe da Equipa de Desenvolvimento Humano e o Chefe do DFID
  • Na qualidade de Responsável Sénior do Programa, liderar o Programa de Transição da Saúde (sobre a saúde sexual reprodutiva, materna, neonatal, infantil e do adolescente) e o novo Programa de Transição Demográfica, que incluirá:
  • Ter reuniões regulares com agências de implementação, manter a supervisão do progresso dos parceiros, realizar avaliações anuais, encomendar avaliações e pesquisas sempre que for relevante
  • Trabalhar em colaboração com outros conselheiros e gestores de programas dentro da Equipa de Desenvolvimento Humano e Resiliência e em todo o escritório, com vista a implementar prioridades e programas entre escritórios
  • Gerir a participação do Chefe de Equipa, do Chefe do Escritório e do Alto-comissário Britânico nas discussões políticas e eventos do programa, sempre que for necessário
  • Apoiar a mobilização e a criação das quatro componentes do novo caso de negócios, Demografia, incluindo a criação de parcerias estratégicas com os consultores relevantes e os sectores da educação e de competências, quando for apropriado
  • Participar em discussões sobre políticas relacionadas com a implementação e com outros parceiros do sector da saúde, incluindo a participação no grupo de trabalho de nutrição no Ministério da Saúde e a articulação com a equipa de nutrição com vista a garantir que as intervenções sejam tecnicamente sólidas e eficazes
  • Apoiar o gestor do programa para assegurar o cumprimento dos requisitos corporativos em todas as componentes, incluindo indicadores da relação custo-benefício, gestão apropriada do risco e previsões financeiras precisas, em articulação com as agências de implementação. Realizar visitas de campo regulares para entender os programas, o contexto e contribuir para a monitorização e aprendizagem de lições
  • Assessorar o DFID Moçambique e o trabalho de saúde mais amplo do DFID em todo o leque de intervenções da saúde; trabalhar em estreita coordenação com as Equipas de Saúde na Sede (Departamento de Desenvolvimento Humano e Divisão de Políticas do Departamento de Fundos Globais, com a Divisão de Pesquisa e Evidências e com o Departamento Regional de África)
  • Colaborar com o RSP do Programa de ASH e Nutrição para apoiar a identificação de actividades sensíveis a nutrição a serem implementadas aos níveis distritais e provinciais em actividades de criação de capacidade, geração da demanda e por parte da oferta de serviços para podere responder a demanda
  • Envolver-se, monitorar e informar a Sede sobre programas seleccionados e estratégicos geridos centralmente e programas multilaterais implementados em Moçambique. Como o RSP liderar o engajamento com o Banco Mundial na saúde localmente e engajar com a equipe na Sede envolvida no nosso apoio ao Mecanismo Global de Financiamento (GFF) para assegurar uma abordarem em que os recursos geridos bilateralmente e os geridos centralmente estão alinhados
  • Contribuir para tornar a equipa de Desenvolvimento Humano e Resiliência num ambiente de trabalho eficaz e ser um membro positivo do DFID Moçambique, apoiando o chefe da equipa, consoante as necessidades. Participar activa e eficazmente nos dias de ausência da equipa e nas semanas de trabalho do escritório
  • Contribuir para os objectivos do DFID (10%):
  • Manter as competências técnicas de saúde ao nível mais alto através do Desenvolvimento Profissional Continuo
  • Participação em conferências de Desenvolvimento Profissionais, partilha de lições de Moçambique e partilha de lições com o DFID Moçambique
  • Apoiar a realização dos objectivos de saúde de DFID como é requerido de um membro do Grupo Técnico de Saúde, em negociação com o DFID Moçambique através de oportunidades de 10% (onde se oferece 10% do seu tempo a um outro escritório ou usa-se 10% do tempo de um colega de outro escritório para apoiar o seu trabalho em Moçambique)
Requisitos
  • Essencial:
  • Os conselheiros de saúde devem possuir o grau de Mestrado em Saúde Pública ou um Mestrado equivalente numa área técnica relevante (por exemplo, epidemiologia; planificação e finanças da saúde; economia da saúde; demografia e saúde)
  • Mínimo de 5 anos de experiência de trabalho no sector da saúde
  • Ser fluente em Inglês e Português
  • Habilidades interpessoais sólidas e capacidade de influenciar e trabalhar eficazmente com outros, assim como excelentes habilidades de comunicação, incluindo inglês escrito e falado, e capacidade de elaborar conselhos sucintos e claros sobre políticas para os Ministros, assim como casos de negócios e avaliações
  • Desejável:
  • Eficácia pessoal e capacidade de influência; capacidade comprovada de pensar estrategicamente, tomar decisões eficazes sobre prioridades e demonstrar boa capacidade de discernimento
  • Capacidade de cumprir prazos apertados, operando de forma independente e flexível; capacidade de trabalhar ao ritmo e de ajustar prioridades para atender a solicitações em constante mudança
  • Habilidades de Línguas: Apesar de Português ser a língua oficial em Moçambique, a comunicação dentro do DFID será principalmente em Inglês. O Conselheiro (a) terá que ser fluente em Inglês e ser capaz de operar proficientemente em Português. A aptidão em Inglês será uma consideração chave no processo de selecção
Perfis de Sucesso - Comportamentos DO
  • Perfis de sucesso é um quadro novo de recrutamento usado na Função Pública Inglesa
  • Os candidatos devem demonstrar claramente os exemplos dos seguintes comportamentos na sua aplicação:
  • Liderança
  • Comunicação e capacidade de influenciar
  • Trabalhar em equipa
  • Executar em ritmo acelerado
  • Nível 4 deve ser usado quando estiver a completar o processo
Notas
  • Indique a fonte desta vaga na sua candidatura: emprego.co.mz
  • O candidato deve usar a seguinte referência no título da candidatura: “MOZ0120”. O não cumprimento disto pode resultar na sua candidatura não ser vista
  • O prazo será a meia noite no dia 01 de Março de 2020. Todas candidaturas recebidas depois desta data não serão aceites
  • Retro informação será dada somente aos candidatos que chegarem a entrevista
  • A falta de cumprimentos com estes procedimentos pode resultar na proposta não ser considerada
  • Agradecemos todos os candidatos interessados, mas somente os seleccionados para as entrevistas serão contactados
  • Todos os candidatos devem ser legalmente autorizados para viver e trabalhar em Moçambique
  • O DFID esta comprometido em ter oportunidades iguais em todas as suas políticas e não discrimina por razoes de raça, género, idade, religião, orientação sexual e deficiência. A selecção será baseada no mérito. Pessoas portadoras de deficiência são encorajadas a candidatar-se
Como se Candidatar
Esta vaga não aceita mais candidaturas

Detalhes

  • Entidade Alto Comissariado Britânico
  • Local
  • Categoria
  • Tags
  • Publicado 19.02.2020
  • Expira 01.03.2020
  • Partilhar vaga por email
  • Reportar erro

Perguntas Frequentes

Como posso candidatar-me a vagas através do emprego.co.mz?

Ler artigo